Pesquisar Apaes

Você deseja ir para qual instituição Apae? Clique nas setas para visualizar as opções.

Estado

Unidade

Area Educação

 

AREA: EDUCAÇÃO

 

 

Nome: Sandra Maciel de Arruda Voos

Carga horária: 40 horas semanais

Função: Diretora Pedagógica 

 

Nome: Ana Cecilia Guarezi Fagundes

Carga horária: 40 horas semanais 

Função: Orientadora Pedagógica

 

Nome: Neide Gonçalves Buch

Carga horária: 40 horas semanais

Função: Orientadora Pedagógica

Capacidade de atendimento: 350 (mês)

 

 

OBJETIVO GERAL

 

O CAESP de Joinville tem por objetivo o desenvolvimento global do educando com necessidades especiais, tornando-o capaz de desenvolver suas habilidades dentro das possibilidades e limites de sua deficiência, buscando sempre atividades práticas que o levem a compreender de maneira real e concreta as situações do dia-a-dia.

 

 

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Tornar nosso educando o mais independente possível, dentro de suas possibilidades. No CAESP cada setor tem suas metas e objetivos relacionados com a faixa etária envolvida: 

Estimulação Essencial: 00 anos à 03 anos e 11 meses.  

Serviço Pedagógico Específico (SPE): 04 anos à 17 anos.

Serviço de Oficina Ocupacional (SPEO): 17 anos à 40 anos.

Oficina Protegida Terapêutica (OPT): 17 anos à 40 anos.

Curso de Qualificação Para o Mercado de trabalho: acima de 17 anos.

Centro de Convivência (C.C): acima de 41 anos.

 

 ESTIMULAÇÃO ESSENCIAL

O Programa de Estimulação Essencial, atende crianças de 0 a 3 anos e 11 meses, que apresentam atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, síndromes, paralisia cerebral e casos de alto risco (prematuridade, baixo peso, desnutrição, apgar baixo, negligência de cuidados pela família, falta de estimulação, vulnerabilidade social, econômica e cultural e filhos de pais com deficiência intelectual).

O atendimento neste programa tem como objetivo o desenvolvimento integral dos aspectos físicos, psicológicos, sociais e culturais priorizando a construção harmônica do desenvolvimento da primeira infância. Nesta fase a metodologia utilizada deve ser por meio da repetição de diferentes exercícios sensoriais, ampliando os aspectos emocionais proporcionando as crianças sensação de segurança e prazer, estimulando às habilidades cognitivas através do lúdico para facilitar a aprendizagem, explorando o desenvolvimento de atividades pertinentes ao exercício da curiosidade e da imaginação.

No referido programa são trabalhadas as áreas: cognitiva, motora, linguagem, sócio-emocional e autos cuidados, estimulando os movimentos voluntários, mudanças de posição e postura, coordenação motora fina e global, apropriação da imagem corporal, esquema corporal, linguagem expressiva e compreensiva, movimentos orofaciais, noção espaço-temporal, percepções tátil, auditiva, visual, gustativa e olfativa favorecendo o desenvolvimento desses aspectos e propiciando a socialização e interação global de forma lúdica respeitando o nível de desenvolvimento e a idade de cada criança

 Quanto às atividades de vida diária priorizam-se o controle esfincteriano, higiene bucal e corporal, cuidados essenciais e semi-independência.

 Os atendimentos são realizados de forma individual ou em grupo.

 Na organização didático-pedagógica os procedimentos de intervenção são orientados pela equipe multiprofissional de acordo com as individualidades e necessidades de cada criança. A família é parte integrante deste programa e recebe orientações para dar continuidade aos procedimentos de intervenção em seus lares.

 A avaliação é realizada pela equipe multiprofissional, na qual o histórico da criança e da família é analisado nos diversos setores técnicos da Instituição através de uma triagem e estudo do desenvolvimento global do sujeito em questão.

 Após o término da avaliação é realizada uma discussão com os profissionais que avaliaram para estudo de caso e, em seguida, faz-se uma devolutiva aos pais ou escola propondo medidas interventivas dentro de uma hipótese diagnóstica, com o objetivo de oferecer condições e possibilidades para que a criança adquira um desenvolvimento neuropsicomotor conforme os padrões de normalidade.

 As crianças que atingirem os objetivos do programa de estimulação receberão alta do CAESP e serão encaminhadas para a rede comum de ensino.

 

SERVIÇO PEDAGÓGICO ESPECÍFICO

 

 

O Programa de Serviço Pedagógico Específico constitui-se um conjunto de referências pedagógicas que visam contribuir com a implantação de práticas educativas funcionais que contribuam com a independência, autonomia, qualidade de vida e participação social dos educandos. Procura a participação das famílias, tornando-as parte importante do processo educacional de seus filhos.

O Serviço Pedagógico Específico destina-se aos educandos de 06 à 17 anos de idade, com significativas alterações no processo de desenvolvimento, aprendizagem e adaptação social.

Para esse grupo de alunos é oferecido um currículo funcional cuja finalidade é manter habilidades adquiridas estimulando novas aprendizagens, desenvolver ações educativas que enfatizam o desenvolvimento de capacidades/ habilidades que os tornem independentes, produtivos e conseqüentemente mais aceitos socialmente, contemplando: 

Reconhecimento de habilidades – estimular a superar seus limites, descobrir e reconhecer seus sentidos.

Interação Social – descobrir-se enquanto indivíduo integrante de uma sociedade, família, escola e comunidade.

A escolarização formal – com adaptações curriculares significativas e ênfase nas atividades de artes, cultura e lazer. O domínio da vida diária – caracteriza-se pela autonomia no lar, na escola e na comunidade.

O domínio elaborativo – a ocupação no lar e a iniciação para o trabalho.

“Currículo funcional é ensinar conhecimentos e habilidades que possam ser usadas pelo estudante que sejam úteis em diferentes ambientes e que continuem sendo úteis através do tempo.” (Lê Blanc, 1992).

Após determinado tempo a equipe deve encaminhá-lo novamente para avaliação, com objetivo de investigar suas novas possibilidades de ingresso na Rede Regular de Ensino ou Educação Profissional.

 

SERVIÇO PADAGÓGICO ESPECIFICO OCUPACIONAL

 

É um setor que se preocupa fundamentalmente com a manutenção de habilidades adquiridas e desenvolvimento de novas habilidades necessárias no seu dia-a-dia. O trabalho consiste em desenvolver, por meio de atividades praticas suas capacidades, sempre respeitando seus limites e estimulando-o a superar suas dificuldades de maneira a desenvolver seu potencial. 

Através de um trabalho dinâmico o educando será capaz de perceber-se enquanto cidadão, revendo seu potencial com atividades laborativas através de oficinas terapêuticas, onde irá realizar atividades rentáveis como:

 

Oficina de Papel Reciclado;

Oficina de Velas;

Oficina de Peças Industriais;

Oficina de Tapeçaria;

Oficina de Artesanato;    

 

No decorrer destas atividades o educando terá oportunidade de estimular constantemente seus sentidos, habilidades motoras, socialização e avds.

As avaliações são necessárias constantemente para observar seu desempenho e futuros encaminhamentos, podendo permanecer neste setor ou ser encaminhado para Oficinas Protegidas Terapêuticas ou Qualificação para o Mercado de trabalho.

 

OFICINA PROTEGIDA TERAPEUTICA 

 

O Programa Oficina Protegida Terapêutica (previsto no Artigo 35,§ 5º, do Decreto 3.298/99) é uma alternativa de atendimento para as pessoas com Deficiência Intelectual e Múltipla que, inicialmente, devido à significância de sua deficiência, não apresentam condições de inserção no programa de Qualificação para o Mercado de Trabalho, oferecidos na Instituição e sim, em programa específico para suprir as suas necessidades sociais, emocionais, educacionais e ocupacionais.

Assim, o CAESP vem oferecendo aos alunos com grau de comprometimento mais acentuado e em idade de Profissionalização a Oficina Protegida Terapêutica, que tem por objetivo a integração social por meio de atividades de adaptação e capacitação para o trabalho de adolescentes e adultos que devido ao grau de deficiência, transitória ou permanente, não possa desempenhar atividade laboral no mercado competitivo de trabalho. 

As atividades de adaptação e capacitação para o trabalho desenvolvidas na Instituição ocorrem em sala de aula e nas Oficinas de Reciclagem de Papel, Tapeçaria, Velas, Peças Industriais e Artesanato. Os alunos participam ainda de atividades complementares no laboratório de informática, atividades educativas sistematizadas, atividades de vida prática e atividades de vida diária.

Nestas oficinas são desenvolvidos também o programa de currículo funcional, com objetivo de tornar os alunos mais independentes, autônomos, produtivos e adaptados ao ambiente. Os conteúdos propostos com o currículo funcional abrangem as seguintes disciplinas: matemática, português, geografia, história, ciências, artes plásticas, teatro e música, sendo que a maior parte do trabalho com estas disciplinas são realizadas na prática e de forma integrada.

Todo trabalho realizado ocorrem em conjunto com a equipe multiprofissional, visando melhora no desempenho nas atividades funcionais bem como melhor qualidade de vida. O educando que apresentar um desenvolvimento compatível, poderá ser encaminhado para a Qualificação Profissionalizante.

 

 

 

 

 

 

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONALIZANTE

 

A Qualificação Profissionalizante destina-se a alunos com idade superior a 17 anos, adulto com deficiência mental ou múltipla e preocupa-se em desenvolver o potencial de trabalho. 

A Qualificação Profissional ocorre em dois momentos:

- Pedagógico – estuda a parte teórica do curso aplicado que envolve matemática, português, ciências, geografia, história, conhecimento de leis, habilidade de gestão, direitos e deveres do mercado de trabalho.

- Curso de Panificação – realiza a parte prática e aplicação da teoria realizada em sala, exigindo do educando responsabilidades e deveres previamente estabelecidos. 

 No desenvolvimento do programa de Qualificação Profissional o aprendiz recebe atendimento nas habilidades específicas, básicas e de gestão, dos conteúdos ainda não adquiridos, sendo necessária à integração entre as habilidades.

 

Objetivos:

 

Oportunizar ao aprendiz o desenvolvimento de hábitos e atitudes relativos à postura adequada para o trabalho;

Aperfeiçoar conhecimentos básicos necessários para a profissionalização;

Servir de treinamento para o exercício de atividades profissionais e futura colocação no mercado competitivo;

 

Encaminhamentos:

 

O educando será considerado apto ao trabalho após dominar todos os conteúdos e demonstrar-se responsável em todos os aspectos básicos como: compromisso, higiene, autonomia, responsabilidade, controle emocional, rendimento, iniciativa e deslocamento.

 Poderá ser encaminhado conforme a solicitação e disponibilidade no mercado de trabalho, em contato direto entre instituição e empresa, este encaminhamento ocorrerá com o acompanhamento, mediação e assessoria do setor de psicologia do CAESP.

 

 

 

 

ATIVIDADES PROPOSTAS

 

No decorrer deste ano estaremos aplicando em todo o CAESP o Projeto Reciclagem, este será desenvolvido através de projetos trimestrais, aplicados e adaptados a cada setor.

Dentro da proposta pedagógica de trabalho encontra-se também:

 

Aulas de artes;

Aulas de Educação Física;

Aulas de Informática;

Treinamentos desportivos;

Atividades Festivas;

Datas Comemorativas;

Congresso Estadual das APAES;

Visitas a locais pré-estabelecidos;


 

Endereço:
Rua José Elias Giuliari, 111 • Joinville • SC
E-mail:
apae@apaejoinville.com.br
Telefone:
(47) 34317400